Tratamento de Efluentes na Mineração

As áreas de armazenagem de minério são geradoras de efluentes de mineração com grande potencial poluidor aos corpos hídricos (destinação final desses efluentes), afetando o meio ambiente e a saúde humana.

Como se forma esses efluentes de mineração ?

A maior contribuição para esses efluentes são as águas pluviais, ou seja, em toda ocorrência de chuva. A água da chuva carreia as partículas sólidas, lixiviando assim, o minério superficial das pilhas de armazenamento, transportando-o conforme o sistema de drenagem das instalações. Esse efluente com alta carga de resíduo de minério é geralmente canalizado para bacias de contenções.

O efluente gerado por atividades operacionais rotineiras como lavagem de equipamentos e instalações, e controle de sólidos particulados possuem menor contribuição se comparado ao decorrente de águas pluviais.

Esses efluentes são formados basicamente de água da chuva com sólidos inorgânicos metálicos (incluindo metais pesados) e não metálicos, além de matéria orgânica e microrganismos. Portanto, o tratamento deve levar em consideração a carga de sólidos e o controle microbiológico.

Todas áreas de atividades de mineração estão suscetíveis a ação das águas pluviais, desde as áreas de extração e beneficiamento, até as áreas de armazenagem de minério externas as lavras (pontos de vendas e portos).

Tratamento de efluentes de mineração

A forma adequada de clarificar os efluentes de minério e despejá-lo em condições adequadas aos corpos hídricos é retirando os sólidos suspensos e dissolvidos do efluente. Seja por qualquer alteração nas condições químicas ou físico-químicas desse efluente.

Uma forma de se obter esses resultados é com o auxílio dos químicos no tratamento primário

O uso de coagulantes gera a agregação das partículas em suspensão, de forma a separar o sólido suspenso. Dessa forma, depois de agregadas as partículas não se dissolvem mais, independentemente do valor do pH. Um coagulante muito eficiente é o policloreto de alumínio (PAC), sulfato de alumínio e cloreto férrico.

Os floculantes são polímeros orgânicos que ajudam a acelerar o processo de decantação, pois agregam os coágulos formados, gerando flocos pesados e suscetíveis a ação da gravidade. O polímero aniônico é um floculante altamente eficiente para acelerar a decantação.

Os coagulantes atuam de forma a diminuir o pH do efluente, de forma a afetar a sua atuação no tratamento. Nesse sentido, o controle do pH pode ser efetuado com o uso alcalinizantes como a soda 33 e 50% ou aluminato de sódio.

Já os oxidantes / biocidas atuam eliminando a matéria orgânica (microrganismos) presente no efluente. Além disso, ajudam a oxidar metais solubilizados, como ferro ou manganês, e dependendo do efluente, ajudam a precipitar esses poluentes, evitando o seu despejo nos recursos hídricos da região. Dessa forma, utiliza-se o hipoclorito de sódio ou o peróxido de hidrogênio.

Com a ajuda dos químicos pode-se oferecer uma destinação adequada aos corpos hídricos de forma segura e atendendo aos critérios do CONAMA 430.


Conheça mais dos nossos produtos para tratamento de efluentes. Entre em contato e peça o seu orçamento.

Deseja fazer uma cotação?

Preencha o formulário que retornamos rapidamente o contato

Nossos produtos

Policloreto de Alumínio (PAC)

O Policloreto de alumínio (PAC) é um dos coagulantes mais eficientes do mercado atualmente. Possui rápida atuação, alta remoção de contaminantes e baixa dosagem. Dessa forma, possui

Ver Detalhes

Outros posts

Policloreto de Alumínio (PAC)

O Policloreto de alumínio (PAC) é um dos coagulantes mais eficientes do mercado atualmente. Possui rápida atuação, alta remoção de contaminantes e baixa dosagem. Dessa forma, possui

Ver Detalhes
plugins premium WordPress